Olho d'água, v. 7, n. 1 (2015)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Theatrum mundi: o império-minuto em dois romances portugueses contemporâneos

Paulo Alexandre Pereira

Resumo


 

 RESUMO: Neste artigo, propõe-se a leitura de dois romances recentes — A noite das mulheres cantoras, de Lídia Jorge, e Ilusão (ou o que quiserem), de Luísa Costa Gomes—, entendendo-os, por extensão metonímica, como variações ficcionais em torno do velho topos do mundo como teatro. Salientar-se-á, em particular, o modo como neles o tecido romanesco incorpora o Zeitgeist contemporâneo, concretizando um escrutínio atento e desencantado dos tempos que Bauman consagrou como “líquido-modernos”.

 

PALAVRAS-CHAVE: Lídia Jorge; Luísa Costa Gomes; Modernidade líquida; Romance português contemporâneo; Theatrum mundi.

 

ABSTRACT: In this article, we analyze two recent novels — Lídia Jorge’s A noite das mulheres cantoras and Luísa Costa Gomes’s Ilusão (ou o que quiserem) — by considering them as fictional variations on the ancient topos of the world as stage. We will particularly seek to highlight the ways in which fictional discourse incorporates the contemporary Zeitgeist, ultimately accomplishing a thorough and disenchanted scrutiny of the times Bauman has consecrated as “liquid-modern”.

 

KEYWORDS: Lídia Jorge; Luísa Costa Gomes; Liquid Modernity; Portuguese Contemporary Novel; Theatrum Mundi


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Resultado de imagem para erih plus periodicos

Resultado de imagem para livre periodicos

Resultado de imagem para endereço imagem redib 

Resultado de imagem para redib

Resultado de imagem para mla international bibliography

Resultado de imagem para oaji periodicos

Resultado de imagem para capes periódico